Pesquisa Conteúdo:
   
 
INSTITUCIONAL
Histórico
Diretoria
Conselho Fiscal
Conselho Deliberativo
 
SERVIÇOS
Artigos
Convênios
Galeria de Fotos
Aniversariantes do Mês
Jornal Plantão Fiscal
Recadastramento
Restrito
 

"Um irmão pode não ser um amigo, mas um amigo será sempre um irmão.
Demétrio
10/04/2018

Em Porto Alegre, Sérgio Moro elogia voto de Rosa Weber: consolidou a jurisprudência

O juiz federal Sérgio Moro elogiou o voto da ministra Rosa Weber, considerado decisivo no julgamento habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Supremo Tribunal Federal (STF). Com um público de cerca de 500 pessoas que lotou o espaço VIP do Fórum da Liberdade, em Porto Alegre, o magistrado apareceu publicamente pela primeira vez após determinar a prisão do petista. “Você consolidou a jurisprudência, você não muda ao sabor do acaso”, disse Moro ao se referir à decisão do Supremo em 2016 que possibilitou a prisão em 2ª instância e ao voto da ministra no julgamento do habeas corpus de Lula na semana passada.

O magistrado ainda disse que o voto de Luís Roberto Barroso foi bastante eloquente, mas comentou que especialmente o de Rosa Weber apelou para valores de extrema importância para o estado de direito e para o exercício e ética da magistratura. Após uma fala de 20 minutos, o jurista aidan teve tempo de responder a duas perguntas feitas pela mediação do evento. Em uma delas, falou sobre a importância da transparência dos processos e defendeu a publicidade nos processos contra a corrupção. "Um dos sentidos básicos da democracia é que ela permite que os governados controlem o comportamento dos governantes, inclusive com oportunidade de subsituí-los em eleições periódicas.

Então, a informação é extremamente importante. A nossa Constituição é mandatória no sentido de que os processos de julgamentos do Poder Judiciário devem ser públicos. Não é uma construção interpretativa, ela admite o segredo de justiça em casos excepcionais", comentou Moro. O juiz ainda falou que os governados tem, por direito, saber o comportamento de seus governantes e da Justiça em relação às acusações formuladas contra eles.

De acordo com Moro, essas obrigações de transparência foram decididas desde o início da Operação Lava Jato e, assim que a fase de investigação e o sigilo necessário terminaram, tudo foi aberto ao público. Ele, no entanto, diferenciou publicidade de vazamento, que é quando se viola as regras legais.

"O que eu fiz, em todos os casos, foi deixar o sigilo legal levantado por entender que essa é a interpretação necessária da Constituição", comentou o magistrado, que ainda afirmou que vazamentos ocorreram, mas não de sua autoria. No outro questionamento, Sérgio Moro falou sobre o enfraquecimento político no Brasil. Comentou que, desde 1985, o país recuperou suas liberdades, porém, o que se verifica hoje é um sistema fechado em imunidades e garantias aos políticos de alto escalão. Ainda disse que há um raciocínio crescente de que reformas são necessárias e que, por isso, sacrifícios éticos acabam sendo aceitos.

"Acho que isso vem crescendo desde a redemocratização e só se canha, cada vez mais, distorção. Evidentemente, existem reformas importantes a serem realizadas, mas quando se transige com a corrupção para se obter esse tipo de reforma, na prática, se atribui uma vantagem a um político desonesto e isso acaba gerando uma seleção cada vez mais perversa." Após seus pronunciamentos, Moro foi ovacionado pelo público que pagou ingresso mais caro para acessar o espaço VIP do Fórum da Liberdade. O jurista brasileiro falou ao lado do promotor Antonio Di Pietro, célebre pela Operação Mãos Limpas na Itália, nos anos 1990, e que serviu de inspiração para a Lava Jato. Em sua fala, Di Pietro se solidarizou a Sérgio Moro e também foi bastante aplaudido pela plateia.

Fonte: CP
 
+ Clipagem

Latam passará a cobrar por marcação de assento em voos -

A Latam passará a cobrar, a partir de 16 de agosto, pela marcação de assentos nos voos. O valor será d

Jurídico da Anfip tem canal de comunicação exclusivo -

Associados agora têm número exclusivo para assuntos jurídicos

Visando a excelência no atendimento aos seus associad

ANFIP/Unimed: Campanha carência zero já começou -

Prazo para adesões vai até 1º de outubro. Solicite seu orçamento

Os interessados em fazer parte do plano de saúde A

ANFIP colhe assinaturas para emendas à PEC 293/04 -

A ANFIP e a Fenafisco já estão coletando as assinaturas necessárias para que emendas à PEC 293/04, que trata da refor

Associado da Anfip tem plano odontológico exclusivo - Com menos de um R$ 1,00 ao dia*, os associados da ANFIP podem conquistar segurança para toda a família.

A ANFIP fe

+ Notícia

 
home | contato | localização | convênios
Rua Siqueira Campos 1171, 11º andar - Porto Alegre/RS - Telefone: (51) 3224-4355 - E-mail: agafisp@agafisp.org.br